sábado, 6 de agosto de 2016

Morre Ivo Pitanguy, no RJ, aos 90 anos de idade









terça-feira, 2 de agosto de 2016

Vereador Guarda Alexandre, PC do B de Boa Vista, confessa que agride mulheres: "eu até bato [em mulheres], mas do jeito que eu bato, elas me olham e pedem mais forte"...







Vídeo mostra vereador de Boa Vista dando tapas em dona de casa
Em sessão, vereador se defendeu e ironizou; 'Se bato, pedem mais', disse.
Dona de casa registrou BO contra o vereador Guarda Alexandre (PC do B).

Emily Costa
Do G1 RR

Uma câmera de segurança flagrou o momento em que o vereador de Boa Vista Guarda Alexandre (PC do B) agrediu a dona de casa Maria Zilda, de 44 anos. As imagens, registradas no sábado (30), mostram o instante em que o parlamentar desceu do veículo e deu tapas na mulher. Na sessão desta terça-feira (2) na Câmara, o vereador se defendeu das acusações e ironizou: "eu até bato [em mulheres], mas do jeito que eu bato, elas me olham e pedem mais forte".

A defesa do vereador negou as agressões e diz que o parlamentar "apenas fez um movimento com os braços". Sobre as declarações na sessão, a defesa do Guarda Alexandre afirma que ele foi 'infeliz'. "Foi um momento de 'cabeça quente', pois ele está muito abalado com essa situação", informou o advogado Luciano Henrique.

A filmagem mostra o vereador estacionando o carro em frente à residência de Maria Zilda, na zona Oeste da capital. Logo depois, ele desce do carro e anda em direção ao filho dela. No entanto, a dona de casa se coloca na frente do rapaz e é agredida pelo parlamentar. O vídeo mostra ainda o vereador trocando tapas com os filhos de Maria.

No Boletim de Ocorrência registrado na Polícia Civil, a dona de casa relata que levou 'fortes tapas' do vereador. Ela afirma que não havia motivos para a agressão, mas diz acreditar que ele foi até a casa para defender uma vizinha da família, com quem teria um relacionamento amoroso.
Na sequência do vídeo, é possível ver o parlamentar entrando no carro. Em seguida, a família joga pedras no veículo e o vereador torna a descer do carro. Após outra discussão, Guarda Alexandre vai embora. A dona de casa e os filhos não fizeram o exame de corpo de delito.


'Quando bato, pedem mais forte', diz Guarda Alexandre em plenário

Na sessão desta terça, que marcou o fim do recesso legislativo da Câmara, o vereador pediu a palavra para se defender das acusações da dona de casa. Durante o discurso, ele disse que se bate em mulheres, elas 'pedem mais forte'. Em março de 2014, Guarda Alexandre foi detido após agredir um servidor de um hospital público do estado.

"Quem me conhece sabe como é que eu sou. Eu até bato, mas do jeito que eu bato, elas [mulheres] me olham e pedem mais forte", declarou o vereador ao negar ter agredido Maria Zilda. O parlamentar disse 'nunca na vida ter batido em uma mulher' e afirmou ter registrado um Boletim de Ocorrência contra a dona de casa na segunda-feira (1º).

"Pra começo de conversa, nunca bati em uma mulher na minha vida. Tem um camarada que uma vez eu dei um soco nele e toda vez que ele lembra de mim, ele cai no chão, quanto mais eu bater em uma mulher", declarou.

Ele disse que no domingo parou na rua da dona de casa para buscar documentos e que ao estacionar o veículo foi surpreendido por uma pedrada.

"Desci e perguntei o que estava acontecendo, tendo em vista que o carro é vidro fumê e as duas pessoas que estavam no carro quiseram descer. Eu não deixei e agora essa senhora está dizendo que eu dei um murro no rosto dela. Engraçado, se eu dei um murro no rosto de uma mulher daquela, que eu acho que não tem nem o que comer direito, porque que ela não foi à delegacia e pediu o corpo de delito?", questionou.
O parlamentar também negou ter agredido a filha da dona de casa e disse que o episódio foi usado como instrumento político.

"Eu não tenho porque mentir, até porque eu não devo satisfações em relação à minha vida, apesar de ser homem público [...]. Aconteceu essa situação, porém eu não agredi essa mulher, nem a filha e o filho dela, até porque eu não sou burro em relação a isso faltando poucos dias para a campanha [eleitoral]", afirmou.

Ainda no discurso, o vereador xingou no plenário da Câmara, pessoas que, segundo ele, estariam o acusando de manter um relacionamento com uma mulher que estava com ele no sábado.

"Em relação a essa questão, presidente, estão dizendo na imprensa que eu tinha isso, tinha aquilo com a moça. Eu não tenho nada com a moça, e se eu tivesse, não devo satisfação a filho da p... nenhum", finalizou o parlamentar que recebeu apoio de outros vereadores da Casa.

A Assessoria de Comunicação da Câmara dos Vereadores de Boa Vista informou que não vai se pronunciar. "Isso aconteceu na vida particular do vereador. Então, a Casa não vai comentar sobre o assunto".



PS: O vereador que atende pelo bizarro vulgo de Guarda Alexandre é dessas figuras deploráveis que povoam os arrabaldes nos confins desta porcaria de  país onde o 'sabe com que está falando' ainda está povoada por imbecis desta estirpe que não temem qualquer resquício de Lei... O tal imbecil Guarda Alexandre (vereador, ora vejam, do outrora aguerrido PC do B histórico)  ao arrotar que mulheres gostam de apanhar dele nos permite, confortavelmente, acreditar que ele igualmente seja sado-masô que adora remunerar prostitutas para  o chicotear  lhe avermelhando sua  bunda murcha besuntada de óleos caseiros, pedindo mais, para ser obediente proctomizado de forma continuada... Vereador Guarda Alexandre é dessas figuras deploráveis que o mundo político atual não mais comportam... Guarda Alexandre é um idiota em estado bruto... Se este babaca  quiser me processar, fique a vontade ... Jorge Schweitzer 
     

domingo, 31 de julho de 2016

Guilherme Capel Pasqua, o médico professor Pasquale corretor ortográfico de paciente humilde





Após ofender paciente na web, médico anuncia trabalho voluntário
Médico também se ofereceu para cuidar de toda a saúde da família.
Encontro aconteceu na casa do paciente, que o perdoou.


Renata Victal
Do G1 Campinas e Região


"Eu errei, me arrependi e me sinto mal com isto. Este pedido de desculpas vai a todos os brasileiros que se ofenderam com a brincadeira da "peleumonia". Sr. José Mauro hoje tornou-se meu amigo",  escreveu o médico Guilherme Capel ao lado de uma foto em que aparece abraçado a José Mauro de Oliveira Lima.

O mecânico de 42 anos foi o último paciente a ser atendido pelo médico na última quarta-feira (27) no Hospital Santa Rosa de Lima, em Serra Negra (SP), e havia se sentido ofendido com uma foto também publicada pelo médico no Facebook com o seguinte dizer: “Não existe peleumonia e nem raôxis”. O reencontro dos dois aconteceu na tarde deste domingo (31), na casa do mecânico. Além do pedido de desculpas, Guilherme se ofereceu para ser médico da família. Os dois conversaram e resolveram a questão.

 "Fui até a casa do mecânico que virou símbolo nacional. Diante da exposição ao hospital Santa Rosa de Lima de Serra Negra gostaria também de me retratar. Como prova disso, fico à disposição da ONG que ajuda este hospital para realizar plantões voluntariados nos quais todo o dinheiro arrecadado será destinado a ONG  que ajuda este hospital. Este sou eu: Guilherme Capel Pasqua.

Ao fim do post, o médico publicou o telefone (19) 38924946 para quem também quiser doar para esta a ONG Reviver.


Desculpas aceita

Diagnosticado com pneumonia na quarta-feira, José Mauro ainda se recupera da doença, mas diz se sentir melhor. Ele conta que a visita inesperada foi bem vista por toda a família.

"Ele veio esclarecer o meu entendido, pediu desculpas e eu desculpei. Ele é uma pessoa boa, que teve um momento errado. Ele é novo e vai aprender com o tempo.  Não foi nada que a gente não possa perdoar", contou José.

Depois do encontro, ele diz esperar encontrar o médico novamente no Hospital Santa Rosa de Lima. "Ele é muito bom médico. Minha patroa também acha ele um bom médico e ele nos atendeu bem. Foi uma brincadeira de mau gosto. Espero que ele volte a trabalhar no hospital de novo".

Ele é uma pessoa boa, que teve um momento errado. Ele é novo e vai aprender com o tempo.  Não foi nada que a gente não possa perdoar"


José Mauro, mecânico

Ontem o médico já havia enviado ao G1 um vídeo onde pedia desculpas a todos que haviam ficado ofendidos com a foto em que debochava dos pacientes do hospital e reforçou que não havia endereçou a brincadeira a um paciente específico.

"Dizer peleumonia, raôxis não desmerece ninguém. Português varia de acordo com o contexto social. Repito, foi uma brincadeira infeliz, não endereçada a ninguém, a nenhum paciente. Criaram um personagem que não existe. Quero dar um último recado para o Brasil. Quero sim que vocês odeiem sim o preconceito, quero que vocês odeiem pessoas que diminuam o próximo, mas não me odeiem porque esse, não sou eu", diz no vídeo.


Sindicância

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) abriu na sexta-feira (29) uma sindicância para para apurar a atitude do médico. O processo pode levar de seis meses a dois anos para ser concluído.

O primeiro passo da sindicância é averiguar os fatos denunciados, coletar provas (prontuários, receitas, laudos e outros documentos), uma manifestação escrita e, sempre que necessária, audiência com os envolvidos.

Se forem constatados indícios de infração ética, que consiste no descumprimento de algum artigo do Código de Ética Médica, passa-se à segunda fase: a instauração do processo ético-profissional. Sem indícios, a denúncia é arquivada.

Ao ser considerado culpado, o profissional poderá receber uma das cinco penas disciplinares aplicáveis, previstas em Lei, pela ordem de gravidade:

A pena A prevê uma advertência confidencial em aviso reservado; a pena B, censura confidencial em aviso reservado; a C censura pública em publicação oficial; a pena D, suspensão do exercício profissional por até 30 dias e a pena E prevê a cassação do exercício profissional.



PS: Curioso desta história toda é que termos e gírias de população de baixa renda servem exatamente para identificarem sintomas... O que este projeto de rascunho de médico  desconhece é que a médicos de verdade são adestrados exatamente para entenderem expressões populares de pessoas sem instrução sem corrigi-las... Assisti pessoalmente residentes do Hospital Souza Aguiar sendo instruídos para se familiarizarem expressões populares desconhecidas... E, o tal Guilherme Capel Pasqua providencia algo inimaginável que contraria qualquer procedimento padrão da medicina expondo paciente ao ridículo apenas para demonstrar sapiência indevida... Acredito que  Guilherme Capel Pasqua tenha se arrependido apenas pela repercussão na internet que enterraria sua carreira definitivamente ao marcá-lo para sempre nas opções do Google como dotô Guilherme Capel professô Pasquale... Jorge Schweitzer



Taxista tenta fugir de assalto e morre afogado próximo do monumento a Estácio de Sá, no Flamengo, RJ






Bombeiros buscam taxista que teria caído na Baía de Guanabara, no Rio
Segundo testemunhas, taxista teria tentado fugir de um assalto.
Carro caiu nas pedras, perto do monumento a Estácio de Sá, no Flamengo.


Alba Valéria Mendonça
Do G1 Rio


Bombeiros do Grupamento de Busca e Salvamento (GBS) da Barra da Tijuca, retornaram às 6h deste domingo (31) às buscas por um taxista que teria caído com o carro na Baía de Guanabara, na altura do monumento a Estácio de Sá, na Praia do Flamengo, na Zona Sul.

Segundo os bombeiros, testemunhas que estavam no local na noite de sábado (30) disseram que o taxista tentou fugir de um assalto, quando descansava debaixo de uma árvore na região. Ele teria engatado a marcha ré e caído no meio das pedras.

A assessoria do Corpo de Bombeiros informou que eles foram chamados às 22h50 de sábado. Fizeram uma busca na região, mas não encontraram nada. E retornaram na manhã de domingo com três mergulhadores e um bote, além da equipe de resgate em terra.

O táxi ficou muito destruído e está preso às pedras. O trabalho dos bombeiros está sendo dificultado pelas condições do mar, que está agitado.



PS: Este local é um recuo na pista do Aterro do Flamengo que tem vaga para cerca de dez carros e durante o dia possui um vendedor de água de côco numa kombi; já, a noite, é um convite ao assalto, infelizmente... JS




Marco Luque no Altas Horas da Globo





Marco Luque no Altas Horas é  incompreensível como tentativa de humor...

Algo sugere que o ex-CQC esteja aproveitado piedosamente a justificar salário global por contratação desastrada...

Ainda há pouco Luque  fez piada recorrente com 'bom suar' em francês do tempo da nossa bisavó...

Marco perdeu  tempo e  hora da inflexão que proporciona sequer esboço de sorriso disfarçado...

Marco Luque é constrangedor...

Lastimável...




Jorge Schweitzer




quinta-feira, 28 de julho de 2016

Cremilda da Silva Conceição, 70 anos, a 'Vovó Vida Loka' que espancou cachorro em Cachoeiro do Itapemirim, ES














Avaliei se deveria postar este vídeo...

Nem achei que conseguiria assistir até o final...

Porém, para entendermos o grau da brutalidade é necessário expormos a cena...

De passar mal...

De tirar o sono...

Inacreditável  alguém, não pertencente ao Estado Islâmico,  capaz em sã consciência providenciar tamanha crueldade sem motivação racional...

Quem filma tudo ainda dá gargalhadas...

Perdeu-se limites...

Cremilda foi presa pela PM de Cachoeiro de Itapemirim e não demonstra nenhum sentimento de culpa...

Vovó Cremilda é a deformidade em estado bruto...

Idiotas também envelhecem...

Vovó Cremilda Vida Loka é uma coitada sem alma...

Que nunca deveria ter sido gerada...

Se existe inferno Vovó Cremilda se candidatou para jamais retornar...

Tomara que seja estraçalhada na cadeia...

A pauladas...

Tomara...





Jorge Schweitzer
















terça-feira, 26 de julho de 2016

Sofrência paixão




A internet proporciona presenciar verdades absolutas proferidas por anônimos que outrora reservadas apenas a pensadores consagrados...

Sabe aquela sacada tão evidente que todo mundo já pensou mas não conseguiu jamais traduzir em linguagem articulada?

Pois é...

A rede alargou este caminho fechado aos filósofos celebrizados...

O mais bacana é que o imaginário coletivo por vezes depende apenas da reflexão observadora de um único iletrado com suas confusões ortográficas para clarear o óbvio sintático natural...

O que tínhamos mania de adjetivar de ditos populares sem autoria...

Frases simples que todo mundo entende quando o sofrêncio Pablo do Arroxa se esgoela convincente...

Regredi para comparar com frases ditas por Lou Andreas Salomé, à musa paixão platônica de 
Nietzsche cheia de próclises, ênclises e mesóclises...

Putz!

Na verdade...

Paixão é um troço direto que dispensa frases elaboradas...

Complicou linguajar a dona vai procurar outro língua solta mais convincente...

Amor verdadeiro necessita de expressão real com uma braçada de flores, bombons da Kopenhagen, um automóvel zero envolto em laço vermelho e um anel de diamantes...

O resto é história fiada sem fim...




Jorge Schweitzer






Avô





Toda criança gosta do avô...

Todas..

Existem estas químicas inexplicáveis...


É meio furada a teoria que ao avô palhaço se abre um universo circense onde tudo lhe é permitido para agradar o neto como tradução da sinergia inexplicável...

Tem algo a mais que é um mistério...

Não conheci Aprígio - meu avô materno - mas adorava escutar as histórias que minha avó Antônia descrevia, com detalhes, enquanto fazia pão caseiro; pudim; sagú ou bolinhos de arroz no fogão à lenha...

Com meu avô paterno tive pouquíssimos encontros...

Mas lembro de todos...

Ele era magro, alto, soturno e fumava cigarro palheiro...

Com seu afiado canivete curvado recortava rodelas do fumo de rolo comprado na venda da esquina cheia de cachaceiros...

Esfarelava com as suas imensas e amareladas palmas das mãos calejadas...

Pegava a palha e modelava um cigarro imenso...

Um ritual magnífico e majestoso em câmera lenta...

Nos matava de rir colocando a brasa do cigarro dentro da boca a soltar fumaça pelo nariz...

E...

O melhor do nosso espetáculo infantil...
 

Meu avô soltava fumaça pelas orelhas...

Como ele fazia aquilo?

Não tenho a menor idéia...

Ele tinha habilidade única de ficar com a cabeça imóvel e remexer somente as orelhas...

E, de dentro de ambas orelhas, saia fumaça em profusão...

Repetia inúmeras vezes para nosso delírio...

Depois ficava meses sem nos reapresentar o número...

Calado em seu canto...

Entre goles de chimarrão na cuia grande de porongo com erva mate Safira...

Pitando...

Em meio aqueles círculos de fumaça no ar como nuvens de algodão nas coxilhas do Rio Grande...

Minha Vó Otília quando ficava nervosa falava em alemão...

Belo dia todos consideravam que ela havia enlouquecido...

Menos eu...

Foi colocada em um asilo longe lá de casa...


Sempre a visitava com meus pais, aos domingos...

Ela ficou muito triste por lá...

Como uma criança abandonada num cesto naquela porta...

Era uma casa fria de corredores intermináveis...

Vó Otília ficava mais maluca ainda quando me via e me cobria de beijos apaixonados e seu cheiro inesquecível me segurando com suas mãos amarrotadas cobertas de pintas que eu alisava contando quantas...

E ela a cada vez tão mais criança quanto eu...

Num Alzheimer confundido com esclerose senil...

Por vezes confundia meu nome com de meus irmãos...

Mas relembrava lúcida da semana anterior quando me presenteou balas de goma retiradas de sua caixa de alumínio com duas bailarinas pintadas na tampa como um painel Da Vinci...

Minha vó adorava me apresentar como troféu para outras internas com orgulho por eu ainda amá-la...

Belo dia...

Meus pais não me permitiram mais que os acompanhasse até lá...

Não compreendi...

Nunca mais a vi...

Minhas referências foram embora sem que me fosse permitido um abraço de despedida a revelar o número total de pintas que o tempo sábio tatuou...

E fui capaz de contar quantas...




Jorge Schweitzer






sexta-feira, 15 de julho de 2016

Uber do Google Vs Táxi Regulamentado






Nesta nova época em que virou escaramuça midiática 'Uber Vs Táxi', Valdeci Silva apenas fez sua parte; sem imaginar nenhuma reprodução na imprensa...

Mas, Valdeci, merece nosso respeito...

Valdeci Silva, taxista regulamentado de 43 anos de idade, socorreu uma moça que acabara de ser esfaqueada no pescoço por assaltante no Estácio - Centro do RJ, e a levou - junto com a filha de 7 anos de idade -  para o Hospital Souza Aguiar; onde infelizmente veio a falecer...

Provável que muita gente passou pelo local e ficou estagnada pela brutalidade abandonando a normal reação humana de solidariedade ou se esquivou de ensaguentar seu automóvel inteiro ao se envolver em 'problema que não era seu'...

Valdeci não pensou em nada que não acolher  seu impulso natural de humanidade...

Valdeci Silva é dessas pessoas absolutamente diferenciadas que nos permitem acreditar...

Conheço inúmeros, incontáveis, episódios de taxistas que socorreram anonimamente pessoas pelas ruas do Rio de Janeiro nas mais variadas situações de risco...

Só que isto não vira manchete relevante...

O preconceito estereotipado de taxista casca-grossa; incivilizado; mal educado e sem escolaridades é mais atraente para jornalistas emoldurarem desmoralizar regulamentados profissionais enquadrados por normas e padrões que levaram o poder público criar um emaranhado de órgãos estatutários de fiscalização cabide de emprego e terrorismo digno de território feudal ...

O Ovo da Serpente sempre se acastela na cauda certificada da embocadura...

Atualmente o G1, Facebook e página do site do jornal O Dia estampam chamada remunerada recomendando que 'você pode ser patrão de si mesmo ao se cadastrar gratuitamente no Uber e começar a faturar imediatamente'...

Aos poucos, a ilegalidade do Uber sem fiscalização -  fomentada pelo poder do aporte financeiro do Google - vai emaranhando seus tentáculos a justificar esperto investimento bilionário...

Não tenham mínimas dúvidas que no cerimonioso  manual de redação de qualquer mídia estará como mensagem oculta que taxista regulamentado deve ser espezinhado de forma subliminar inteligente, perspicaz e metódico sem despertar suspeita de indecente  cooptação financista informal...    

Já não sou taxista há tempos...

Tenho muito orgulho de ter sido...

Muito...

Quem me acompanha sabe...

Agora...

O Uber, convenhamos,  é uma elaborada  estratégia ladina onde na  falta de opção se tornou  refúgio 171 apropriado para desempregados apavorados com a crise que, como escrava massa de manobra, que logo a frente  perceberão a oportunista armadilha dos colonialistas pós  modernos de capitães ianques do mato tupiniquim...

Pouco plausível que pelo menos vinte Uber's  ou 500 carros particulares não tenham passado pelas imediações do Centro de Convenções SulAmerica; do escritório Central de Organização das Olimpíadas ao lado do Metrô Estácio ou do prédio Piranhão da Prefeitura e não tenham assistido uma senhora esfaqueada se esvaindo em sangue e preferiram seguir em frente...

Um taxista regulamentado a acolheu...

Agora, tenham certeza...

Se Valdeci fosse um Uber, também o faria...

E sua foto estaria na primeira página do Globo ponto Com...

Não está...

Nem precisa...

Lógico, o Google irá me sacanear daqui pra frente...

Sem problemas...






Jorge Schweitzer


terça-feira, 12 de julho de 2016

Segure a respiração e ouça meu coração explodir





Na Rede somos todos perfeitos...

Ou ao menos tentamos insinuarmo-nos como...

Nunca somos barrigudos...

Carecas...

Feios...

Chatos...

Ignorantes...

Hipócritas...

Imbecis...

Nossas fotos estampam nossos melhores ângulos e momentos...

Quando a inspiração desaparece reeditamos sábias citações alheias...

Quando encontramos algo melhor que nós, debochamos e fazemos chacota...

Quando nos apaixonamos por uma fotografia, que nem temos certeza se pertence àquele identificado, postamos mensagens sutis ou declarações depravadas tentando reflorescer conquistador hibernado que passou a vida inteira ruborizando-se ao elogiar alguém atraente...

Nossas profissões e posição social são aquilo que perseguimos sem sermos bafejados pela boa-sorte...

Somos o Super Man...

O Homem Aranha...

O Brad Pitt maquiado...

O Tom Cruiser repaginado...

O galã bombado...

Ninguém é Chapolin Colorado...

Não temos mau-hálito...

Chulé...

Inhaca...

Unha encravada...

Cascão na sola do pé...

Cabeleira na narina ou na orelha...

Somos assépticamente perfumados e limpos...

Quando temos dificuldades com o vernáculo dissimulamos escrevendo em internetês com direito a todas barbaridades e nenhum conteúdo...

Não somos pobres...

Fudidos..

Com contas atrasadas...

Nem cornos...

Velhos...

Brochas...

Covardes...

Perdedores...

Somos todos glamourosos...

Nossos sentimentos são os mais nobres...

Defensores de adiposas baleias e magérrimos cachorros abandonados...

Acolhemos humildes desdentados...

Somos solidários com os excluídos e oprimidos...

Nos escudamos atrás do anonimato ou nomes fictícios para não fazermos nada e não sermos identificados ou alcançados...

Praticamos o voyerismo impune circulando por endereços de outros mentirosos como nós, acreditando que as 365 máscaras utilizadas durante todo ano jamais desgrudarão de nossas faces...



Jorge Schweitzer






Simples desse jeito






Inventei um fantasma assustador...

Cibernético...

Virtual...

Irreal...

Robótico...

Chamado Amor...

Como quem inventa o fogo...

E não controla a chama...

Como inventar a imagem...

E não achá-la...

Como inventar o som...

E não dominar a voz...

Inventei o riso...

E perdi a graça...

Inventei a melodia...

E perdi o tom...

Inventei o apetite...

E não posso saciá-la...

Inventei a paz...

Vivo em desordem...

Inventei teu paraíso...

Espero a porta abrir...

Inventei o sonho...

Espero o despertar...

Inventei meu destemor...

Provoquei medo...

Desinventei teus pesadelos...

Me redescobri sonâmbulo...




Jorge Schweitzer





terça-feira, 5 de julho de 2016

Pablo do Arrocha e Nietzsche






A internet nos proporciona presenciar verdades absolutas proferidas por anônimos que outrora reservadas apenas a pensadores consagrados...

Sabe aquela sacada tão evidente que todo mundo já pensou mas não conseguiu jamais traduzir em linguagem articulada?

Pois é...

A rede alargou este caminho fechado aos filósofos celebrizados...

O mais bacana é que o imaginário coletivo por vezes depende apenas da reflexão observadora de um único iletrado com suas confusões ortográficas para clarear o óbvio sintático natural...

O que tínhamos mania de adjetivar de ditos populares sem autoria...

Frases simples que todo mundo entende quando o sofrêncio Pablo do Arroxa se esgoela convincente...

Ou Chitãzinho ou Xororó solfejam Evidências...

"Quando eu digo que deixei de te amar
É porque eu te amo
Quando eu digo que não quero mais você
É porque eu te quero
Eu tenho medo de te dar meu coração
E confessar que eu estou em tuas mãos
Mas não posso imaginar
O que vai ser de mim
Se eu te perder um dia..."

Regredi para comparar com frases ditas por Lou Andreas Salomé, a musa paixão platônica de Nietzsche cheia de próclises, ênclises e mesóclises:

"Tu, céu claro sobre mim,
Quero confiar-me a ti
Não permitas que o prazer e a dor daqui
De admirar-te possam-me impedir!
Tu, que sobre tudo te projetas,
Através de espaços e através dos ventos,
Mostra-me aonde vais, pois é minha meta
Reencontrar-te em todos os momentos.
Do prazer não quero ver o fim
Não fugirei do sofrimento que abate,
Espaço e mais espaço é o que quero sobre mim
Para ajoelhar-me sobre o azul e venerar-te."

Putz!

Na verdade...

Paixão é um troço direto que dispensa  frases elaboradas...

Complicou linguajar a dona vai procurar outro língua solta mais convincente...

Amor verdadeiro necessita de expressão real com uma braçada de flores, bombons da Kopenhagem, um automóvel zero envolto em laço vermelho e um anel de diamantes...

O resto é história fiada sem fim...




Jorge Schweitzer






sexta-feira, 1 de julho de 2016

Lírio Parisotto, o benjafezo petroquímico osculado pela Luiza Brunet agredida






Lírio tem cara de trouxa não...


Lírio tem cara do finado  Paulo Francis...

Mas, não o é...


O gaúcho Lírio Parisotto aparece como um dos 600 homens mais ricos do mundo, com uma fortuna estimada em quase US$ 2,5 bilhões...

Ou, mais de R$ 8 bilhões...

O empresário Lírio atua em vários setores, como o de petroquímica e de mídia...

Como petroquímica nos arremete à Petrobrás não há como não ficar com um raio de pulga atrás da porra da orelha..

Existe uma questionável máxima que qualquer fortuna ocasional haja-se forjada na ilegalidade...

Descreio...

Mas, sou solitário único...

Possível que Lírio Parisitto seja um  benfazejo osculado pelo clemente destino que o premiou acidental...

Porém...

Deu chabú...

Toda fortuna de Lírio Parisitto será agora rastreada cada centavo após episódio de agressão da Luiza Brunet...

Caminhos tortos se encruzilham na curva tônica do deslumbramento imedido à qualquer pálida irrazão entre unhadas, cuspidas e quatro costelas quebradas....

Na realidade, deu merda...

Barraco familiar tomou contornos com direito a Jornal Nacional e quadro no Fantástico...

Lírio Parisitto se tornou simbolo de tudo deplorável que possa haver na face da Terra...

Mesmo em qualquer de seu pior pesadelo jamais Lirio ousaria imaginar...

Lírio Parisotto está encrencado para todo o sempre...

Lírio deve estar com inveja danada da máxima opção do Olacyr de Moraes...

Dinheiro compra tudo...

Menos cabeça no travesseiro...




Jorge Schweitzer





Lirio Parisotto queria ser famoso; Luiza Brunet o tornou...







A gente não sabe o que realmente  aconteceu no entrevero íntimo entre o Lirio Parisotto e a Luiza Brunet mas...

A se confirmar que ela teve quatro costelas quebradas, como alega, ele está seriamente complicado e marcado para todo o sempre, mesmo que consiga se livrar do braço da Lei com advogados ladinos e otimamente remunerados que são os únicos que devem estar festejando sua desgraceira...

Lirio passou a vida inteira perseguindo a notoriedade que, finalmente, conseguiu, da pior forma possível...

O Lirio acaba de desembarcar, sem retorno, em todos seus piores infernos onde tudo que declarar (como: 'nunca na vida agredi homem') lhe retornará em efeito implacável bumerangue...




Jorge Schweitzer




Cavendish soube dois dias antes que seria preso... Eu, um!









Na noite anterior a decretação da prisão do Cavendish, eu publiquei texto sobre fechamento dos restaurantes populares e o citei, assim como o fotos dos guardanapos na cabeça do Sérgio Cõrtes e asseclas no restaurante do Hotel Ritz em Paris...

Ainda não havia nenhuma notícia que a quadrilha do Sérgio Cabral seria novamente desentocada...

Curioso, né?!

Como eu soube com antecedência, já que não prevejo os seis números da megasena?

Não posso contar...

Agora, uma coisa é certa: Cavendish igualmente teve a mesma informação dois dias antes, já que se refugiou em Ibiza...

Mas, me atrevo, do alto da minha comprovada competência premunitória, informar:

Dentro em breve teremos Sérgio Cabral preso!

Guardem esta postagem...

Pezão, seu braço executor, só não vai junto por alegadas compaixões humanos justificadas...

Aguardem!    



Jorge Schweitzer






PS: As fotos que  aparecem guardanapos na cabeça do médico Sérgio Côrtes e granfinas com sapatos avermelhados no solado foram divulgadas pelo ex-governador Anthony Garotinho e obtidas pelo mesmo através de investigadores policiais que negociaram o notebook de uma das vítimas do acidente de helicóptero afundado em Trancoso em 2011...