sábado, 27 de setembro de 2008

Peregrino, O Poeta do Povo...






Um cachorro vira-latas deitado ao lado de uma mochila no centro do Rio de Janeiro...

Engraçado...

Muito limpo...

Parece ter acabado de tomar banho...

Um cão feliz a sacudir o rabo...

Entupido no trânsito fico a observar...

Um sujeito aborda carros parados no sinal na esquina da Rio Branco...

Distribui panfletos que ninguém aceita depois de rápida conversa na beira da janela dos automóveis...

Certamente ele não é mendigo, apesar que todos cachorros de pedintes são felizes...

Dou a volta no quarteirão inteiro engarrafado para matar a curiosidade...

Ele continua a tentar entregar seus panfletos...

Ninguém aceita...

Buzino para lhe implorar um...

Informa, em portunhol, que custa 0,25 centavos...

Pago um real...

É argentino...

Sua esposa está acampada em algum lugar que não entendo...

É um andarilho...

É poeta...

Sobrevive da venda de seus poemas...

E vai tocando a vida...

Um sonhador como não existe mais...

Uma raridade...

Fica surpreso pela minha bisbilhotice...

Entra uma passageira no táxi aproveitando minha parada...

Acompanha nosso diálogo...

Prometo retornar para conversarmos sobre sua vida de poeta e andarilho...

O trânsito anda...

Pego o Aterro do Flamengo em direção a Botafogo...

A moça sentada no banco de trás fica fascinada pela curiosidade da cena...

Pede para ver o papel que ele acabou de me entregar...

“Peregrino – O Poeta do Povo

Deus Pai

Respiro o ar
E conquisto o infinito.
Mergulho nos sonhos,
Me encontro com Cristo.
Não está morto está vivo!
Cada passo que dou
Ele vai comigo.
É meu irmão, é meu amigo
Sua cruz não pesa nada
Porque Deus é Pai
E não inimigo.

Autor: Sérgio R. Astete

Contato:
www.peregrinoopoetadopovo@yahoo.com.br

Tel: 9949.6388

Todos os direitos reservados”

- Como o senhor descobre estas figuras?
- Fico garimpando...
- É muito legal isto...
- Cidade grande nos proporciona esta maravilha...
- Eu jamais iria abordar alguém para perguntar porque ele está fazendo aquilo, tenho curiosidade mas tenho medo...
- Eu também...
- Claro que o senhor não tem...
- Finjo que não tenho, são todos iguais a mim e a você quando o tratamos como iguais...
- Acabei de ter um dia terrível e este episódio me deixou melhor...
- Me conte, juro que jamais contarei prá ninguém...
- O senhor é terrível...
- Agora, sem brincadeira, tenho um blog e tudo que você disser poderá ser publicado se permitir...
- Acabo de me separar, saí do Forum...
- Putz, melhor eu não reproduzir...
- Que nada, faço questão...
- Negativo...
- Como lhe encontro na Internet?
- Táxi em Movimento, basta digitar no google
...
- O senhor tem cartão?


Jorge Schweitzer

7 comentários:

  1. Ontem voltando para casa, havia um senhor idoso mendigo no metrô. Não tive coragem de abordá-lo e saber o porque havia chegado naquela vida e me coloquei a chorar, chorava e não sabia o porque que estava chorando e perguntava ao Senhor: Porque Deus há tanta injustiça neste mundo? Porque uns tem tanto e outros não tem nada??? Porque ... mas para o final da noite recebi uma notícia péssima ... entendi que minhas lágrimas eram um sinal de Deus sobre o que eu haveria de passar e fui dormir acreditando nisso, sem me esquecer daquela cena.
    Hoje, acordei e fui ao médico, próximo ao metrô Consolação, confesso que já estava atrasada, mas foi inevitável parar para conversar com a Sra. Marli, uma senhora de uns 38 anos +- que estava bem na porta de saída do metrô, com um carrinho de bebê e seus 2 cachorros e 02 gatos (e o gato pela coleira como se fosse peregrino também). Gente, que mulher esperta, de coração bom, conversamos por uns 20 minutos, sobre a sua vida, a sua “opção” de vida e do cuidado e amor que ela tem aos animais (que por sinal estavam muito bem cuidados e ela entendia sobre castração e câncer, coisa que uma pessoa comum não quer nem saber e prefere gastar seu dinheiro em vícios ao invés de ter seu animal castrado).
    Sabe quem ela era? Era a esposa do Poeta Sérgio R. Astete, sim sei disso pois lhe pedi um contato, algo para que pudesse lhe ajudar. Seu marido tinha ido resolver algo por ali perto e ela estava aguardando um edredon chegar de uma moça que havia lhe prometido. Confesso que me senti uma inútil, pois mais uma vez indagava a Deus sobre isso. Chorei. Ela sabiamente me recitou um poema muito lindo que me fez chorar ainda mais e falava de Jesus. Pedi seus contatos, me despedi. Voltei para casa com mais certeza de que nada nesta vida é por acaso e que eu precisava escutar aquelas sabias palavras e que até mesmo um peregrino do povo é usado por Deus e tem o seu amor dentro do coração.
    Ela me deixou um telefone, (21) 9249-6388, estava sem crédito, mas ela iria conseguir resolver isso. A quem ler esta mensagem, tenha coragem em parar e conhecer a vida de um peregrino, eles são pessoas, são humanos e muitas vezes tem mais coração e alma que um conhecido que vive ao nosso lado!
    Abs, Érica Rincón

    ResponderExcluir
  2. Achei o livro deles, o poema que ela recitou-me foi o que está no site!

    http://www.podeditora.com.br/produtos_descricao.asp?lang=pt_BR&codigo_produto=16

    ResponderExcluir
  3. De repente num belo dia , passa se em frente ao meu trabalho 1 mulher e 2 homens e 1 cachorro com mochilas nas costas, de verdade por estar sozinha na loja e por ser em um parque meio deserto fiquei com medo...eles continuaram andando e quando derrepente a mulher entrou na loja e me pediu um canequinha de café, mesmo assim eu continuava com medo, pois ela com mochilas e um gato em cima da mochila, servi o café e ela me pediu para encher a canequinha q iria levar para o esposo dela e o amigo e começou a conversar, o meu medo foi se embora.
    Uma semana depois ela voltou para pedir cafe novamente chateada pois me disse q seu filho tinha se acidentado , fiquei assustada,mas ela falava do seu gatinho como ele fosse seu filho,q pessoa espetacular, derrepente seu cachorro veio atras dela na loja e a observava e ela dizia a ele, estou brava com vc , por causa de vc o meu gatinho esta internado,a cachorra olhava para ela e abaixava a cabeça como se estivesse chateda , parecia coisa de cinema..e assim quase todos os dias ela passou vir a loja buscar café e dar noticias do gatinho dela q ela tanto ama e me trazer mensagens uma mais linda q a outrae me dizer q tem um Veterinario de coração muito bom cuidando do gatinho sem cobrar nada, não sei o nome.
    E ela passa o dia na cidade vendendo suas mensagens lindas no sinaleiro.
    A maioria das vezes q ela vem na loja , eu me emociono com as palavras e a luta q ela passa sem nada a cobrar , só a agradecer...
    Marli vc é m exemplo de bondade ,humildade....Concordo com a Erica quando ela diz.. A quem ler esta mensagem, tenha coragem em parar e conhecer a vida de um peregrino, eles são pessoas, são humanos e muitas vezes tem mais coração e alma que um conhecido que vive ao nosso lado!
    fuii..

    Cristiane

    ResponderExcluir
  4. De repente num belo dia , passa se em frente ao meu trabalho 1 mulher e 2 homens e 1 cachorro com mochilas nas costas, de verdade por estar sozinha na loja e por ser em um parque meio deserto fiquei com medo...eles continuaram andando e quando derrepente a mulher entrou na loja e me pediu um canequinha de café, mesmo assim eu continuava com medo, pois ela com mochilas e um gato em cima da mochila, servi o café e ela me pediu para encher a canequinha q iria levar para o esposo dela e o amigo e começou a conversar, o meu medo foi se embora.
    Uma semana depois ela voltou para pedir cafe novamente chateada pois me disse q seu filho tinha se acidentado , fiquei assustada,mas ela falava do seu gatinho como ele fosse seu filho,q pessoa espetacular, derrepente seu cachorro veio atras dela na loja e a observava e ela dizia a ele, estou brava com vc , por causa de vc o meu gatinho esta internado,a cachorra olhava para ela e abaixava a cabeça como se estivesse chateda , parecia coisa de cinema..e assim quase todos os dias ela passou vir a loja buscar café e dar noticias do gatinho dela q ela tanto ama e me trazer mensagens uma mais linda q a outrae me dizer q tem um Veterinario de coração muito bom cuidando do gatinho sem cobrar nada, não sei o nome.
    E ela passa o dia na cidade vendendo suas mensagens lindas no sinaleiro.
    A maioria das vezes q ela vem na loja , eu me emociono com as palavras e a luta q ela passa sem nada a cobrar , só a agradecer...
    Marli vc é m exemplo de bondade ,humildade....Concordo com a Erica quando ela diz.. A quem ler esta mensagem, tenha coragem em parar e conhecer a vida de um peregrino, eles são pessoas, são humanos e muitas vezes tem mais coração e alma que um conhecido que vive ao nosso lado!
    fuii..

    Cristiane

    ResponderExcluir
  5. José Antônio de Carvalho zeverbakel@yahoo.com.br21 de junho de 2012 13:00

    Ontem eu conheci Marli e seu marido, o Sérgio. Era por volta de 21:30. Antes, quase seis da tarde, eu havia passado por eles, que estavam em um sinal de trânsito, à espera de alguém que mostrasse interesse pelo que eles tivessem nas mãos como oferta. Ninguém lhes dá a merecida atenção. Eu também não os vira, mas apenas o gatinho cinza, bem nutrido, de pelos luzidios e olhos claros brilhantes, num pedaço da grama do jardim bem no meu caminho em direção à outra pista onde pegaria uma condução . Era quase seis horas da tarde e eu estava indo pra faculdade de Letras. Estava com pressa e ainda fiz "xanin xanim" estalando os dedos como se estivesse fazendo sinal de chamada pra cachorro e não para um gato. Ele(a) não me viu. Deu-me vontade de voltar, me agachar, passar a mão, dar carinho. Vontade grande. Mas é a cidade moderna que nos chama insistemente aos compromissos ...... Tive uma boa aula naquela noite. Foi sobre Poesia Filosofia e Música Modernas num texto e debate únicos. Ao voltar pra casa, notei o cinza enrodilhado do gatinho no canteiro verde que separa as duas pistas da avenida Bernardo Vasconcelos (Belo Horizonte). Surpresa agradável! Notei que havia mochila, alguns pertences e uma senhora mais adiante .... lá no sinal. Me agachei e o gatinho assustou-se um pouco. Sentindo que incomodava, olhei pra a dona dele, a qual veio simpaticamente ao meu encontro. Não me lembro de nossas primeiras palavras. Senti enorme simpatia ao vê-la nos olhos, assim como notei um sotaque denunciando longas jornadas vida afora ou demoradas estadas em algum país sulamericano. Também gostei do aperto de mão, sincero e quente, de Marli. Eu, que tenho fobia social há mais de cinquenta anos, estava ali, no meio do barulho do tráfego que sempre me enerva, com praticantes de jogging esbarrando em nós dois que ocupávamos indevidamente a calçada. Falamos sobre Poesia, coisa de que tanto gosto, e ela, sem saber entrou em concordância comigo: "Poesia não é algo para se estudar, aprender. Ela nasce, vem de dentro do nosso coração"...E leu-me alguns dos textos que produzem e vendem por onde passam. Calado e arrepiado como se estivesse em frente da Beleza da Verdade em pessoa, eu a ouvia falar de coisas várias, coisas prosaicas e agradáveis. Dali a pouco, nos chega o Sérgio com a Princesa, a cachorrinha. Toda limpinha, toda bem tratada. Rosnou pra mim. Achei estranho, pois sou como São Lázaro!!!. Todos os cachorros gostam de mim. Achei muito estranho... até que me disseram: "Ela não gosta que mexam com o gato". E pediram que Princesa ficasse quieta. Foi um custo ficar amigo de Princesa. Depois ela permitiu que eu afagasse o gatinho gordo cinza e lindão. Fiquei de voltar pra fotografá-los. Mesmo que eu não mais os veja, ficarão dentro de minha memória afetiva, meu coração, minha consciência. Nos despedimos com outro aperto de mão, depois de Sérgio, com seu jeitão de indio xamã protetor dos povos das Americas, ter feito bela oração. Foram 60 minutos de prosa, a qual agradeço. Disse-lhes isto: importante este encontro que tivemos. Me trouxe alegrias. Deus os acompanhe como tem acompanhado. E que assim seja para com todos nós. Abraço ao dono deste blog. Obrigado!
    José Antônio / Belo Horizonte
    21/06/2012

    ResponderExcluir
  6. Ontem tive o prazer de conhecer MARLI e seus companheiros em uma avenida de belo horizonte, uma mulher sensacional, sua humildade me deixou encantada, com 20 minutos de conversa ela me pós a pensar na vida e as coisas que realmente devemos dar valor . Mesmo sem ter nada ela tem tudo ao mesmo tempo o amor e carinho que dedica a seus companheiros de jornada e sem preço viu. Fiquei feliz demais com nosso papo e sai de lá pedindo a Deus para protejê-la e dar força para seguir em frente e livra-lá dos males da rua e desejando um dia podermos nos encontrar de novo.

    ANA PAULA
    BELO HORIZONTE

    ResponderExcluir
  7. Ontem tive o prazer de conhecer MARLI e seus companheiros em uma avenida de belo horizonte, uma mulher sensacional, sua humildade me deixou encantada, com 20 minutos de conversa ela me pós a pensar na vida e as coisas que realmente devemos dar valor . Mesmo sem ter nada ela tem tudo ao mesmo tempo o amor e carinho que dedica a seus companheiros de jornada e sem preço viu. Fiquei feliz demais com nosso papo e sai de lá pedindo a Deus para protejê-la e dar força para seguir em frente e livra-lá dos males da rua e desejando um dia podermos nos encontrar de novo.

    ana paula
    belo horizonte

    ResponderExcluir