quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Viviane Cardoso de Souza, professora de 23 anos, encontrada morta em Goiás







Corpo de professora desaparecida é encontrado dentro de poço, em GO

 Jovem de 23 anos estava sumida desde a última sexta (28), em Luziânia. 


Após encontrá-la sem vida e nua no Jardim Ingá, polícia suspeita de estupro. 

Do G1 GO, com informações da TV Anhanguera


A polícia encontrou, na tarde desta quarta-feira (3), o corpo da , em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal. Desaparecida há cinco dias, ela foi achada morta e sem roupa em um poço, em uma chácara no Jardim Ingá, distrito do município. 

A polícia acredita que a vítima tenha sido estuprada. "Vou em busca de justiça. 

A pessoa que fez isso não pode ficar impune", disse à TV Anhanguera a mãe de Viviane, Maria de Souza. 

Por volta das 17h desta quarta, ela acompanhou a busca da polícia e, ao ver o corpo da filha retirado do poço, desmaiou. 

Rodrigo Arana, responsável pelo caso, diz já ter um suspeito, mas não vai divulgar a identidade para não atrapalhar as investigações. 

Mas conhecidos da vítima suspeitam de um jovem que deu carona para ela após uma festa, na faculdade onde estudava em Cidade Ocidental, também no Entorno sul, quando Viviane foi vista pela última vez com vida. O suspeito teria dado carona para a professora e mais quatro pessoas. 

A jovem, segundo uma testemunha que prefere não se identificar, seria a última a ser deixada. 

Também de acordo com a testemunha, o suposto criminoso teria tentado ficar com a garota na festa, mas ela teria recusado as investidas. 

 O suspeito teria dado carona para a professora e mais quatro pessoas. A jovem, segundo uma testemunha que prefere não se identificar, seria a última a ser deixada. 

Também de acordo com a testemunha, o suposto criminoso teria tentado ficar com a garota na festa, mas ela teria recusado as investidas. 

Denúncia 

A polícia conseguiu localizar o corpo da jovem após uma denúncia. Ao saber dos rumores da suposta autoria do crime, uma jovem de 17 anos procurou a delegacia para contar que, dias antes, havia sido estuprada pelo suspeito em uma chácara no Jardim Ingá. 

Os investigadores decidiram, então, fazer buscas no local. Na chácara, avistaram ao lado do poço uma pedra suja de sangue. 

Os policiais acreditam que ela tenha sido usada para matar a professora. No fundo do poço, encontraram o corpo da jovem. 

Viviane dava aulas em uma escola da rede pública no Jardim Ingá e fazia o curso de letras em uma faculdade particular de Cidade Ocidental. A professora foi a quarta mulher assassinada em Luziânia na última semana, segundo dados da Polícia Civil.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.