segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Alexandre Furtado Paes, marido da fisiculturista morta em Natal em 2012, é preso em SP




Marido de fisiculturista morta em Natal é preso em SP
Atleta foi morta por asfixia em dezembro de 2012 no Rio Grande do Norte.
Quase três anos após crime, Alexandre Furtado Paes foi preso em Ibiúna.


Do G1 São Paulo


Quase três anos após a morte da fisiculturista paulista Fabiana Caggiano, de 36 anos, o marido dela, Alexandre Furtado Paes, de 41 anos, foi preso nesta segunda-feira (30), em Ibiúna, na Grande São Paulo. Ele estava foragido desde janeiro de 2013 e foi preso por policiais do Deic (Departamento Estadual de investigações Criminais).

Alexandre Furtado Paes era procurado pelo Justiça do Rio Grande do Norte, onde aconteceu o assassinato. A atleta morreu dia 2 de janeiro de 2013, após ficar cinco dias internada. Ela foi estrangulada pelo marido, de acordo com as investigações.



Alexandre é acusado por homicídio qualificado (motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de a vítima se defender) e também responde ao agravante de ter modificado a cena do crime.

Na época da morte, a defesa de Alexandre informou que ele negou o crime e alegou que a mulher teve um mal súbito durante o banho. Porém, exames periciais realizados no corpo da atleta indicaram que ela foi morta por asfixia mecânica (estrangulamento).

Réu
O empresário Alexandre Furtado Paes, que possui uma academia de musculação na cidade de Osasco, em São Paulo, tornou-se réu no processo no início de março de 2013, quando o juiz Ricardo Procópio, titular da 3ª Vara Criminal de Natal, acatou denúncia do Ministério Público. O viúvo teve a prisão temporária decretada em 25 de janeiro de 2013, e desde então era considerado foragido.



Relembre o caso

Segundo a versão de Alexandre Paes, na manhã de 28 de dezembro de 2013, a mulher estava tomando banho quando ela teria sofrido uma queda repentina.

O Samu foi acionado e já encontrou a paulista desacordada. No dia 2 de janeiro, no entanto, a fisiculturista morreu na UTI de um hospital particular de Natal. Familiares disseram que ela, enquanto esteve internada, permaneceu o tempo todo em coma induzido.

Em razão da suposta queda, o corpo de Fabiana foi removido para necropsia no Instituto Técnico-Científico de Polícia do RN. Laudos preliminares revelaram que a vítima havia sofrido asfixia mecânica, com características de estrangulamento.

No dia 23 de janeiro, após a conclusão dos laudos realizados pelo Itep, o delegado Frank Albuquerque confirmou que a fisioculturista fora assassinada. “As suspeitas foram confirmadas. Exames toxicológicos deram negativos. No entanto, os laudos complementares realmente apontam que Fabiana foi vítima de asfixia mecânica (estrangulamento)”, afirmou .






PS: Durante este tempo todo publiquei diversas vezes fotos do Alexandre Furtado Paes que ele conseguia apagar da Rede com toda facilitação dos provedores em atendê-lo apesar de estar sendo caçado pela Polícia... Jorge Schweitzer







quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Postagem indisponível

Em resposta a um pedido legal recebido pelo Google, removemos esta postagem. Se desejar, leia mais sobre a solicitação em LumenDatabase.org.

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Nádia Freitas de Azevedo, 37, e Antonio de Caris Geraldo, 55, são presos por tortura violenta contra filho de 9 meses de idade em Belforto Roxo RJ







Casal é preso em flagrante por tortura a bebê de nove meses
Filho de Nádia Freitas de Azevedo, 37, e Antonio de Caris Geraldo, 55, tinha hematomas, sarna e afundamento de crânio


ADRIANO ARAÚJO


Rio - Um casal foi preso em flagrante por agressões contra o filho de apenas nove meses, na madrugada desta terça-feira, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Um vizinho levou o menino para o hospital do município e ela tinha hematomas, sangramento, afundamento de crânio, estava desidratada, desnutrida e tinha sarna. O caso causou comoção e mobilizou todo o setor de pediatria da unidade de saúde.

O vizinho foi a casa de Nádia Freitas de Azevedo, 37 anos, e Antonio de Caris Geraldo, 55 anos, e levou pediu que os dois levassem a criança para um hospital e eles teriam se negado. Com isso, ele mesmo levou o bebê para o hospital, acompanhado também pelo casal.

Constatado o estado do menino, a direção do Hospital Municipal Jorge Júlio Costa Santos acionou policiais do 39º BPM (Belford Roxo), que conduziu os pais para a 64ª DP (Vilar dos Teles) para esclarecimentos. Com base em fotos e um laudo prévio da unidade de saúde, eles receberam voz de prisão e foram autuados por tortura qualificada, com agravante por ser contra um incapaz. Apesar de todos o quadro apresentado pela criança, seu estado de saúde não é grave.